domingo, 25 julho(38)99114-1908

Estado e Amams discutem dia 3 de março percursos gerais

06/01/2020 – 9h50

yuif 1

A Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS) e a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social de Minas Gerais apresentarão no dia 3 de março, em Montes Claros, o programa “Percursos Gerais: Trajetória para Autonomia”, que busca a redução das múltiplas formas de vulnerabilidade social. O programa foi lançado no dia 17 de dezembro, em Belo Horizonte, pelo governador Romeu Zema, e a primeira reunião com os municípios será em Montes Claros, no auditório da AMAMS, com 21 municípios dos escritórios regionais da Sedese de Montes Claros e Salinas. São 20 municípios do Norte de Minas atendidos, além de Cachoeira do Pajeú. A secretaria estadual Elizabeth Jucá estará no evento.

Os 20 municípios do Norte de Minas que foram selecionados são Bonito de Minas, Cristália, Curral de Dentro, Fruta de Leite, Ibiracatu, Josenópolis, Juvenília, Miravânia, Montezuma, Ninheira, Padre Carvalho, Pai Pedro, Pintopolis, Rubelita, Santa Cruz de Salinas, Santo Antonio do Retiro, São João da Ponte, São Joao das Missões, Varzelândia e Verdelândia. O presidente da AMAMS, Marcelo Felix, prefeito de Januária, recebeu relatório da coordenadora do Departamento de Politicas Sociais da AMAMS, Laila Tatiane, apontando que é importante pedir a ampliação desse programa para mais 60 municípios, atingindo o total de 80 municípios, pois com os danos causados pela estiagem, os problemas sociais se agravam.

O programa “Percursos Gerais: Trajetória para Autonomia” pretende atuar  nos municípios mineiros com baixo  Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Ao todo, foram selecionados 73 municípios de 12 diferentes regionais da Sedese serão atendidos até 2021. Segundo a secretária de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, o programa busca criar articulações de órgãos internos ao governo, estabelecer parcerias estratégicas externas e captar recursos por meio de fundos de financiamento e emendas parlamentares para subsidiar ações de geração de renda, esporte e lazer, assistência social, segurança alimentar e nutricional, habitação social, direitos humanos, e política de prevenção e cuidado sobre drogas.

“Seguindo as orientações do governador Romeu Zema, estamos propondo uma política responsável, que não aumenta gastos, mas otimiza a atuação de várias políticas no território. Não estamos apresentando uma solução mágica para os problemas. Sabemos dos nossos desafios e temos a certeza que esse primeiro passo já é uma mudança. Promover a autonomia dos indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade é uma esperança para que, no futuro, eles possam fazer suas escolhas”, disse a secretária.

Ao propor um diagnóstico das realidades locais e ações direcionadas aos principais problemas sociais vividos nesses contextos, o programa pretende estabelecer ações que contribuam para que os indivíduos pobres e extremamente pobres possam sair dessa condição e caminhar em direção à autonomia. A execução do programa começará nos municípios com baixo IDHM que fazem parte da Diretoria Regional de Desenvolvimento Social em Teófilo Otoni. Essa regional se tornou o alvo prioritário por ser aquela que mais concentra municípios vulneráveis no estado de Minas Gerais.

O programa visa impactar positivamente a vida econômica, social e habitacional das cidades que o receberem. As ações, dentre outras potencialidades, almeja: criar articulações visando à captação de recursos para auxiliarem as ações; apoio técnico e logístico das equipes e setores envolvidos no planejamento, implementação e avaliação do programa; elaboração de diagnósticos técnicos qualificados sobre a situação presente dos municípios e possibilidades futuras de melhorias; articulação com setores do Estado e com outros municípios para a resolução de problemáticas comuns que comprometem a qualidade de vida dos cidadãos.

Fonte: gazetanortemineira.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *