domingo, 25 julho(38)99114-1908

Homens vendem motos pela internet e são vítimas de golpe do ‘envelope vazio’ no Norte de MG

dtMoto estava sendo anunciada por R$ 2 mil — Foto: Arquimendes Souza / Arquivo Pessoal

Dois moradores de Coração de Jesus e Capitão Enéas, no Norte de Minas Gerais, foram vítimas de um golpe após anunciarem a venda de motocicletas pela internet. Eles contam que a suposta compradora se identificou como sendo mulher e chegou a enviar comprovantes de pagamentos, depois de ter feito depósitos com envelopes vazios.

“Postei a moto na internet para vender e, uma semana depois, uma mulher entrou em contato comigo. A conversa foi tranquila, não desconfiei de nada, ela até disse que gostava de tudo certinho. Quando ficou tudo acertado para vender, ela falou que fez o depósito e me mandou comprovante, mas descobri que não tinha dinheiro nenhum, o envelope estava vazio”, fala Arquimendes Alves de Souza, que é de Coração de Jesus.

A moto de Arquimendes estava sendo vendida por R$ 2 mil e foi entregue por um amigo dele em Montes Claros. “Eu falei com uma mulher, depois com um homem e meu amigo ia entregar no Bairro Independência, mas eles pediram para levar para outro lugar”, lembra.

Depois de perceber que se tratava de um golpe, Arquimendes procurou pela Polícia Militar e registrou um boletim de ocorrência. Como participa de vários grupos em redes sociais, que são voltados para pessoas que vendem produtos na internet, ele ficou sabendo de outras vítimas da mesma golpista. “Conversando com outras pessoas, vi que não era só comigo, tinha mais gente sendo lesada pela mesma pessoa, da mesma forma.”

Caso em Capitão Enéas

dtt.jégMoto que pertencia ao morador de Capitão Enéas — Foto: Divulgação

O outro morador, que é de Capitão Enéas, vendeu a moto em agosto deste ano e prefere não ser identificado. Ele foi até o banco onde o suposto depósito havia sido feito, o gerente confirmou que o envelope foi depositado na máquina sem ter dinheiro dentro.

“Quando conversamos não suspeitei de nada, ela disse que queria comprar porque o marido gostava de fazer trilhas. E falou ainda que tinha depositado o dinheiro, me mandou o comprovante e meu colega levou a moto até o local onde ela pediu”, lembra-se.

A mulher disse que não haveria ninguém no local combinado, mas que a moto poderia ser deixada sem problemas. Poucos minutos depois da entrega, o homem verificou que o depósito não havia sido compensado. Ele ligou, mas o número fornecido pela golpista dava fora de área.

“Meu amigo voltou no lugar, mas a moto não estava mais lá. A gente trabalha, compra as coisas com o suor da gente e alguém tem coragem de fazer isso, abusar da nossa boa vontade, ela sumiu e levou minha moto”, fala indignado.

Desconfiou e cancelou a venda

Um morador de Montes Claros (MG) desconfiou e suspendeu o negócio que estava prestes a ser feito com a mesma golpista dos outros dois casos. Ele também estava vendendo uma moto pela internet.

“Ela entrou em contato, começou a postar fotos de dinheiro, falando que estava contando o dinheiro para me pagar. Em seguida, falou que ia ter que depositar, porque morava em Coração de Jesus e lá só tinha lotérica. Mas eu disse que só entregava depois de ter o valor combinado em mãos”, conta Lucas Salatiel de Jesus.

Após Lucas de Jesus dizer que a entrega seria feita mediante pagamento, a mulher passou a não responder mais as mensagens e a não atender mais as ligações dele.

“Já tive informações de outros golpes desse mesmo tipo. Um irmão de um colega foi vítima, vendeu uma moto por R$ 6 mil e não recebeu. Fiquei sabendo até de pessoas que venderam cachorros de raça, receberam os comprovantes de depósito sem nunca receber o dinheiro”, diz.

Foto usada no site de compras

G1 foi procurado pela uma mulher que aparece nas fotos dos perfis usados pela golpista. Ela alega que está tendo a imagem vinculada aos golpes e que também é vitima. Como os casos estão repercutindo nas redes sociais, diz que está com medo de represálias e prefere não fornecer o nome.

A mulher falou ainda que registrou um boletim de ocorrência para relatar a situação à polícia. Ela conta que a primeira vez que teve conhecimento de que a foto dela estava sendo usada no golpe foi por meio do filho. Ele tentava vender um celular pelo site usado no golpe das motos e foi abordado por uma suposta compradora com a foto dela no perfil.

Dicas de segurança

O major da Polícia Militar, Geovane Rodrigues, diz que o primeiro passo para evitar a ocorrência deste tipo de golpe é duvidar.

“O ideal é procurar por empresas que prestem assessoria para que os negócios sejam feitos, que analisem a idoneidade dos envolvidos na transação e verifiquem se as informações fornecidas são de fato verdadeiras, evitando riscos. Não entregue o bem antes de certeza absoluta que o pagamento foi de fato feito, a máquina emite o comprovante, mas a conferência do depósito é feita posteriormente”, orienta.

Rodrigues ainda explica que nestas situações, os vendedores precisam desconfiar caso os compradores ofereçam resistências em relação ao negócio. “Se houver imposições em relação ao pagamento ou para mostrar o bem, desconfie. Se houver negativa em se repassar dados e informações, desconfie também. Se for marcar um encontro com o comprador ou para ver o que pretende adquirir, escolha locais movimentados”, ressalta.

Fonte: G1

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *