quarta-feira, 16 junho(38)99114-1908

Peixes e cágados são retirados de córrego e lagoa em Montes Claros

Retirada está sendo feita em função da realização de obras. No Córrego do Cintra, 580 animais foram retirados, na Lagoa do Belvedere, 10 mil foram resgatados.

corrego do cintra 4 1 1Retirada de animais no Córrego do Cintra — Foto: Luís Carlos Gusmão / Prefeitura

Peixes e cágados foram retirados do Córrego do Cintra e da Lagoa do Belvedere em Montes Claros (MG). Segundo a Prefeitura, os animais foram levados para as Lagoas do Interlagos e dos Portugueses, já que os locais onde inicialmente habitavam passarão por obras. Outras espécies aquáticas também foram resgatadas.

Thiago Silva, analista ambiental e biólogo da Secretaria de Meio Ambiente, explica que no Córrego do Cintra, houve a retirada de 500 peixes e 80 cágados. Já no Belvedere, 10 mil alevinos – que são filhotes de peixes, foram recolhidos.

“O trabalho de resgate é parte integrante do processo de licenciamento dos locais onde as obras são realizadas. A legislação determina que os animais devem ser resgatados. Como se trata de resgate, não são retirados todos, removemos o maior número possível e soltamos em outras áreas, com o objetivo de garantir a perpetuação das espécies, que irão se reproduzir e recolonizar outra área”, explica.

No Córrego do Cintra, 99% dos peixes são tilápias, há bagres de cascudos. Já no Belvedere, além dos cascudos, a Prefeitura teve informações de que um jacaré também vive no local, mas o animal não foi encontrado.

lagoa do belvedere 2 1Retirada de animais na Lagoa do Belvedere — Foto: Luís Carlos Gusmão / Prefeitura

Thiago Silva destaca que foi feito um levantamento para coordenar as ações. Nesse processo, a etapa de escolha dos locais de destinação das espécies leva em conta a semelhança com os lugares de origem, além de aspectos como tamanho e volume da quantidade de água disponível.

As condições do Córrego e da Lagoa do Belvedere são definidas como degradantes pelo analista ambiental e biólogo. No primeiro local, foram encontrados restos de animais mortos e até de eletrodomésticos, com a presença de esgoto. No segundo, inicialmente não houve a constatação da presença de efluentes, mas o assoreamento é uma condição preocupante.

As obras na Lagoa do Belvedere, bairro que recebeu um parque recentemente, devem ser finalizadas em 90 dias. Já na região do Córrego do Cintra, o prazo é de 18 meses, devido à complexidade.

“Ressalta-se a preocupação da Prefeitura, via Secretaria de Meio Ambiente, quanto às questões ambientais na execução das obras, com a preocupação de preservar e conservar as espécies”, finaliza Thiago.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *