A Barragem de Jequitaí, sonho do Norte de Minas, está em vias de receber aporte financeiro da União. O senador Rodrigo Pacheco, líder do Democratas (DEM) no Senado, indicou emenda de R$ 50 milhões a serem investidos na retomada da obra. A Comissão de Serviços de Infraestrutura aprovou a indicação ao Orçamento Geral da União.

“Isso é fruto do nosso trabalho, da reunião que fizemos em Montes Claros, das conversas com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, das conversas com o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra, e com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, todos imbuídos no reconhecimento de que esse projeto vai revolucionar o Norte de Minas”, disse Pacheco à reportagem de O NORTE.

“São 35 mil hectares de área irrigada, geração de cerca de 100 mil empregos diretos e indiretos, 420 toneladas de produção por ano. Acredito que, já no próximo ano, a gente possa reiniciar as obras”, ponderou Pacheco.

A indicação deverá entrar no Plano Plurianual (PPA) 2020-2023 e na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2020, o que está tramitando na Comissão Mista de Orçamento (CMO).

O projeto Jequitaí foi iniciado em 2013 para proporcionar o aproveitamento do rio de mesmo nome. A implantação das barragens tende a amenizar a escassez hídrica, um dos maiores problemas da região. A regularização da oferta de água e a redução do risco de enchentes são resultados previstos.

Em recente entrevista a O NORTE, o superintendente Regional da Codevasf, Fernando Brito, falou da necessidade de revitalização do orçamento para conclusão da Barragem de Jequitaí.

“Já estamos com muita coisa realizada para implantação da barragem. 85% da área que vai ser inundada já adquirida e todas as condicionantes ambientais exigidas pelos órgãos já foram cumpridas, dentro de um cronograma acertado entre as partes”, disse Brito, na ocasião.

Agora, com o anúncio do senador Rodrigo Pacheco, o superintendente reforça que a liberação desses recursos vem coroar o trabalho que a direção central e regional da Codevasf tem feito junto às lideranças políticas mineiras sensibilizadas com o desenvolvimento socioeconômico do Norte de Minas.

“A implantação do Projeto Jequitaí é considerada o divisor de águas na economia do Norte de Minas. E a construção da barragem tem contado com importantes apoios para a sua conclusão, como o do senador Rodrigo Pacheco”, considerou.

SAIBA MAIS
Mais água na estiagem
Usuários da Bacia Hidrográfica dos rios Jequitaí, Pacuí e parte do São Francisco, autoridades políticas, empresariais e lideranças do Norte de Minas se reuniram em Montes Claros, em junho deste ano, em ato de apoio à conclusão do Projeto Hidroagrícola do Jequitaí – Barragem I, cujas obras estão paralisadas.

Segundo a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional e responsável pela execução do projeto, para a conclusão do empreendimento é necessário o aporte de R$ 283 milhões, dentro de um cronograma que prevê a entrega das obras em 2022.O projeto é um empreendimento voltado para a exploração do potencial hídrico do rio Jequitaí, por meio da regularização de sua vazão, e tem como objetivo reduzir os riscos de enchentes e a falta de água na época de estiagem. (Com Agência Minas)

Fonte: onorte.net