domingo, 25 julho(38)99114-1908

Rota do tráfico

Montes Claros se destaca no comércio ilegal de animais silvestres


aves
Pássaros apreendidos pelo IEF foram levados para o Cetas em Montes Claros — Foto: Internet/Divulgação

  Às vésperas do Dia Mundial dos Animais – celebrado nesta sexta-feira (4) –, uma operação realizada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em Montes Claros conseguiu livrar dezenas de aves do cativeiro e do comércio ilegal, tão comum no Norte de Minas. A região é considerada uma das principais rotas de tráfico de animais silvestres no país.

Trinta e cinco aves apreendidas ontem foram levadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que o IEF mantém na cidade em parceira com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Outras dezenas foram soltas na natureza, porque não dependem de triagem, cuidados e período de adaptação.

De acordo com a World Wide Fund for Nature (WWF), organização não governamental que atua nas áreas da conservação, investigação e recuperação ambiental, Minas é líder de tráfico de animais no Brasil.

De acordo com o Ibama, no ano passado foram apreendidos 72 mil animais no Brasil, e Montes Claros, por ser um dos mais importantes entroncamentos rodoviários do país, encontra-se no epicentro desse comércio.

Neste Dia dos Animais – data marcada também por ser o Dia de São Francisco, protetor dos animais – e véspera do Dia da Ave – celebrado neste sábado (5) – há muito o que ser feito para resguardar a fauna brasileira, principalmente as espécies que tanto atraem a atenção de criadores e dos traficantes, muitas delas em risco de extinção.

Na leva apreendida ontem, duas são muito cobiçadas: azulão e trinca-ferro. Mas também foram encontrados corrupião e graúna (pássaro-preto). Os três primeiros têm uma característica em comum: figuram entre os de melhor canto.

Em maior quantidade no Cectas de Montes Claros estão os filhotes de papagaio-verdadeiro, apreendidos em 14 de setembro, em Manga. Essa espécie chega a ser comercializada por mais de R$ 1 mil nas feiras.

As aves – 242 papagaios e seis araras – foram apreendidas pela PM de Meio Ambiente. Elas estavam dentro do porta-malas de um carro, em caixas de plástico e papelão.

O Cectas recebe, anualmente, média de 1.500 animais silvestres, em sua grande maioria, aves que após serem tratadas são inseridas na natureza em mais de cem Áreas de Soltura de Animais Silvestres (Asas).

Fonte: onorte.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *