Moradores do bairro Jardim Primavera viram o prefeito inaugurar, com toda pompa, a Unidade Básica de Saúde (UBS) local e acreditaram que passariam a ter melhor qualidade de vida pelo menos na saúde. Mas, na prática, o novo posto não oferece as condições adequadas de atendimento à comunidade: possui apenas um médico para 4 mil pessoas.

A UBS não dispõe de dentista, pediatra, ginecologista nem de farmácia. Serviços que os moradores precisam buscar longe de casa.

O vereador Marlon Xavier (PTC) denunciou a situação na Tribuna da Câmara Municipal, alegando que a Prefeitura de Montes Claros inaugurou o novo prédio da UBS no Jardim Primavera “pintado, com lacinho rosa e muito barulho, mas que dispõe apenas de um médico para atender a população”.

A reportagem de O NORTE esteve no local e constatou, por meio de conversas com funcionários, moradores e até mesmo por uma placa afixada na porta com a escala profissional que apenas um médico atende toda a população e que não há cirurgião dentista e farmácia para atenção às 750 famílias do bairro, contrariando o que prevê o Ministério da Saúde.

Segundo a coordenadora da unidade, a enfermeira Ana Lorena, a unidade tem quase 4 mil pessoas cadastradas. “A gente ficou três meses sem médico e já tem outros três meses que a clínica geral está atendendo, mas, realmente, nossa unidade não tem dentista, não tem farmácia nem sala de vacinação”.

Um drama que principalmente as pessoas mais velhas têm sentido na pele. Maria do Carmo Santos, de 78 anos, que reside na rua Lúcio Ribeiro, contou que passou mal em 22 de outubro, com dores nos braços e nas pernas, mas só conseguiu consulta para esta quarta-feira (30). “E olha que sentia dor de chorar, não chorei porque sou muito forte. Mas hoje (ontem) eu já estou boa, já sarei”.

LONGA ESPERA
O NORTE acompanhou o instante em que Maria do Carmo marcava, para 28 de novembro, consulta na qual a médica avaliaria exames que fez há cinco meses. “Eu pedi para mostrar os exames e ela disse que não poderia vê-los hoje (ontem) e que eu teria que marcar outra data, o que foi feito para 28 de novembro. Nossa Senhora, a falta de médicos, de dentistas, deixa tudo mais difícil”.

Maria Luiza Teixeira Santos, de 57 anos, também reclamava que marcaram sua consulta para 15 dias depois de sentir fortes dores de cabeça e na coluna. “Desisti, não podia esperar muito. Já basta ter que atravessar a cidade para buscar minha medicação na Clínica Hélio Salles, ao lado da Rodoviária”, afirmou, em tom de desabafo.

Na opinião dela, os quase 4 mil moradores do Jardim Primavera precisam ter muito mais que uma médica. “São necessários pediatra e ginecologista, sem contar que os agentes de saúde não atendem como deveriam”.

Sobre a propaganda oficial do município dando conta de que as UBS desafogam os hospitais, o vereador Marlon Xavier argumentou que “com a falta de médicos, o fluxograma continua, porque, além da ausência dos profissionais, ninguém sabe quantos exames de ultrassonografia, quantas mamografias, quantas biópsias de fato a Secretaria de Saúde tem disponibilizado para que as mulheres façam diagnóstico precoce de câncer de mama”.

SECRETARIA 
A secretária Municipal de Saúde, Dulce Pimenta, foi procurada para falar sobre a falta de médicos na UBS Jardim Primavera, mas não falou sobre o assunto.

Fonte: onorte.net